quinta-feira, 24 de maio de 2018

Human rigths


Estes trabalhos foram realizados pelas turmas LH1, LH2 e CT4 do 11.º ano e solicitados pela professora Ana Maria Costa e Silva, no âmbito do tópico programático “Reading the world”. Para concretizar os trabalhos aos alunos foi dada formação sobre o programa CANVA pela professora Isabel Bernardo, professora bibliotecária da Biblioteca Escolar Clara Póvoa, com cuja parceria os trabalhos foram levados a efeito. Saliente-se o entusiasmo que os alunos devotaram a este projeto, o resultado fala por si.



Noa passos de Camões


A construção de um caligrama (partindo do temário camoniano, com adequação à realidade atual) foi a proposta final de um projeto mais vasto que passou pelo conhecimento da lírica de Camões e da sua persistência temática em poetas portugueses dos séculos XX e XXI.

Um objetivo importante foi permitir aos alunos um espaço e um tempo de imaginação e de criatividade.






sexta-feira, 30 de março de 2018

Semana da Leitura 2018

Colectânea de atividades da Semana da Leitura 2018 do AELdF realizadas pelo Serviço das Bibliotecas Escolares ou em colaboração com Educadoras da Educação Pré-Escolar e professoras de 1.º CEB, de Português e de Biologia e Geologia.

As atividades de animação, dramatização e recriação de leitura decorrem das atividades letivas desenvolvidas por crianças e alunos com as respetivas educadoras e professoras. O Serviço das Bibliotecas Escolares apenas proporciona o apoio logístico de apresentação das atividades.

A exposição bibliográfica "A ciência ao alcance de todos" resultou da colaboração entre a Biblioteca Escolar Clara Póvoa e a professora de Biologia e Geologia do 10.º CT3, tendo como ponto de partida a leitura do livro "Breve história de quase tudo" e a produção de artigos científicos pelos alunos.

As leituras na comunidade, pelas crianças da Educação Pré-Escolar, foram inteiramente desenvolvidas pelas respetivas Educadoras.


sábado, 10 de março de 2018

A nossa tremenda ignorância sobre o maior subsistema existente na Terra



Todos sabemos que a água é um elemento vital para a nossa sobrevivência. É tão importante que em poucos dias sem água, os lábios desapareceriam, as gengivas ficariam negras, o nariz diminuiria para cerca de metade e a pele contrair-se-ia à volta dos olhos dificultando o pestanejar.

No total, 60% da superfície do planeta é constituída por oceano com mais de 1,6 km de profundidade e, de acordo com Philip Ball, seria mais correto chamar a nosso planeta Água do que Terra. A percentagem de água doce do nosso planeta é de 3%, encontrando-se 0,036% nos reservatórios naturais, rios e lagos, 0,001% nas nuvens ou na forma de vapor.
  
Se a água doce é tão escassa porque é que nós não bebemos água do Mar?
Apesar da água do mar existir em grandes quantidades, esta pode ser letal, devido aos sais que contém. Mesmo precisando de sal para viver, a água do mar contém cerca de 70 vezes mais do que a quantidade que conseguimos metabolizar com segurança.

Figura 1 - Mar morto

Um litro de água do mar contém cerca de 2,5 colheres de sal comum, mas quantidades muito maiores de outros elementos dissolvidos. Assim, quando ingerida em grandes quantidades, irá fazer com que as moléculas de água existentes nas células saiam destas para diluir e retirar essa quantidade excessiva de sal. Isto deixa as células desprovidas da água de que precisam para continuar as suas funções normais, o que pode levar a gerar problemas tais como: convulsões, inconsciência, danos cerebrais e os rins podem deixar de funcionar, uma vez que o sangue transporta esses sais para estes.




                                                 
Sabias que …
As batatas têm na sua consistência cerca de 80% de água, os bovinos têm cerca de 74% de água, as bactérias têm cerca de 75%, os tomates têm cerca de 95% e o ser humano tem cerca de 65% de água sendo assim mais líquido do que sólido.
-
Foram necessárias 4h para descer 10.918 mil metros em profundidade na fossa das Marianas.
-
água em lagos e rios, quando congela, dilata e flutua. Caso não dilatasse, a água congelar-se-ia de baixo para cima e congelaria toda a vida que lá existisse.
-
As profundidades dos oceanos são um mistério para o ser humano, a escuridão é notável ao fim dos 150 m de profundidade.



Inês Loureiro, Inês Catarino, Isa Oliveira, Luís Cruz e Maria Barreto

Referências bibliográficas
Bryson,B.(2005). Breve história e quase tudo (3.ªed). Lisboa: Quetzal Editores.

Skool, A. (2017/04/04). What happens when you drink seawater? Disponível em https://youtu.be/Nu6A-eZ05fE

Boscolo. (2017). La Giordania e il Mar Morto. Disponível em https://www.boscolo.com/it/viaggi/itinerari-su-misura/la-giordania-e-il-mar-morto